Uma história e tanto...

17/10/2016 17:52

 Artífice da vitória...

 

    Amigos, que vitória maiúscula o S.C.Internacional nos deu ontem! Estive no Beira Rio junto daquele povo, percorri 300 km até lá e, de casa havia saído com a missão de buscar o que era nosso, ou seja, a vitória, e ela veio. Não quero me ater muito ao jogo, dizer que Vitinho foi novamente o herói da partida, Dourado, Anselmo, Danilo, Ceará, Sasha e Valvidia jogaram muito, Alex, apesar de já estar sem a condição do enfrentamento no 1 contra 1, foi importante porque se doou na hora H, correu muito e fechou bem os espaços no lado esquerdo da nossa defesa. Num 1º tempo onde, as equipes se espelharam fechadas em linhas de quatro, encurtando os espaços e por isto poucas chances, o placar foi 0x0.   Na 2a etapa, os treinadores resolveram abrir os esquemas, ai novamente numa bola parada levamos o gol, aliás, estávamos melhor na partida e, talvez por isto acabamos virando, mas muito em cima da coragem do improviso, do atrevimento e ousadia de Vitinho, este fez a vida de Rever virar um verdadeiro Inferno, embalado ao som do estádio que nunca deixou de cantar, de abafar a torcida do Fla que se fez em bom numero, o camisa 11 do Beira Rio abriu caminho a dribles na defesa do Fla, e quando teve companhia de Sasha e Valdívia, na hora H fez a diferença.

    Tentei ser breve na análise da partida para contar-lhes uma história sobre esta minha ida. Minha família e eu, fomos junto com a escola Marco Polo aqui de S.Maria que, pela segunda vez participou do PROJETO CRIANÇA COLORADA, tão bem dirigido pelo Otávio Rojas e sua equipe. Em nossa companhia, viajaram 22 crianças acompanhadas de pais ou tutores. Fomos em 2 ônibus com 60 pessoas ao todo. Dentre estas pessoas há uma mãe que fará parte da história que passarei a narrar. Ela, casada com um amigo que é gremista, joga futebol assim como eu e tem 3 filhos, duas meninas e um menino, a maior colega da minha filha 10 anos, o menino, 6 anos e a outra menina 1 aninho, de colo.Ela saiu de casa as 7 da manhã levada pelo marido até o local da excursão, de lá seguiu sozinha com os três filhos, naturamente vocês devem saber como é difícil lidar com uma situação destas com três crianças e uma de colo. Como menino e a menina iriam participar do Projeto, ela precisou ir até a loja do Inter e comprar uniformes para os dois, ai perdeu-se do nosso grupo que visitava o Museu,  encontrou dificuldades em nos achar, mas perseverante, mesmo diante da chuva, com uma pequena no colo, nos encontrou, e depois do credenciamento de todos juntos, seguimos para o estádio, lá nos acomodamos, a pequena dormiu em seu colo todo tempo, porém ela nunca deixou de gritar, de apoiar o time, certamente pelo contágio que se sente ao entrar no Gigante. Quando levamos o gol, eu estava sentado numa fileira acima dela, ali passei a pensar e a rezar dizendo pra Deus: "Senhor, veja o sacrifício desta mãe que saiu de casa cedo, com 3 crianças pequenas para vir até aqui, mostrar pra eles a paixão dela, o senhor não vai frustra-la, te peço, seja bondoso com esta mãe e seus filhos senhor, afinal, ela nos disse o seguinte quando embarcamos para vir pra cá: "O meu marido vai sempre aos jogos do Grêmio, mas nunca quis leva-los, quer que eles sejam gremistas, mas nunca os leva, então tomei a decisão de trazê-los aqui e ao final lhes direi, Meus filhos, a mãe trouxe vocês aqui, vocês viram com seus olhos, sentiram o que é ser deste clube, agora decidam!" Não pensei em mim, na minha mulher e filha, apenas naquela mãe corajosa, colorada!     E não demorou muito para que Deus respondesse ao pedido que fiz simbolizando aquela mãe, cuja história eu acabara de conhecer na vinda, mas também por todas as pessoas que abriram mão de tudo, que sofreram, que vieram de longe, que enfrentaram chuva, calor, angustia, desespero, estas mereceram presenciar aquele triunfo do tamanho do Gigante, pois, vencer o Fla a situação atual era tarefa complicada.

    Saímos todos recompensados, mas esta história que contei representa muito desta tarde vitoriosa que passamos, o "Coração de Mãe" falou mais alto, sua atitude foi incrível, dificilmente vou me esquecer desta tarde, foi incrível!

    Não há nada ganho, mas mais um passo foi dado, temos que estar vigilantes, teremos outras três batalhas pela frente, e da mesma forma, teremos que nos comportar, pois quando quiseram nos calar com um gol gritamos mais alto, não será um gol que vai nos fazer desistir, lutaremos até o fim pela nossa história, ontem mais do que nunca eu aprendi que devemos estar juntos.

    Agradeço a cada um que esteve lá, havia combinado com muitos amigos, mas a chuva estragou, conversei com o Felipe Boss e com o Guerrinha rapidamente, ficou faltando Rouseng, Gil e outros amigos, mas teremos mais oportunidades, o mais importante é que sigo sem perder quando vou ao Beira Rio.

    Seguiremos na Luta, uma boa semana a todos.

 

Vilmar Silva

@vilmar100